Emprego do Óleo Essencial de Hortelã-Pimenta Via Oral

EMPREGO DO ÓLEO ESSENCIAL DE HORTELÃ-PIMENTA VIA ORAL NO TRATAMENTO DA SÍNDROME DO INTESTINO IRRITADO E OUTRAS DESORDENS GASTROINTESTINAIS

A Síndrome do Intestino Irritável (SII) é um termo aplicado a uma associação de sintomas, que consistem mais freqüentemente de dor abdominal, estufamento, constipação (“intestino preso”) e diarréia. Muitos pacientes com SII alternam diarréia com constipação. Pode haver muco presente junto às fezes.

Dor e desconforto abdominal associado com alterações nas fezes são os principais sintomas, os quais variam entre as pessoas. Pessoas apresentam constipação, outros diarréia ou ainda alternância entre diarréia e constipação. Alguns referem sensação de estufamento e distensão abdominal, decorrente da fermentação de gases no cólon.

A SII afeta os movimentos do cólon, o transporte de gases e fezes e a quantidade de líquido absorvido. Nos pacientes afetados, os movimentos do cólon podem estar aumentados, impulsionando muito rapidamente o bolo fecal, não permitindo a adequada absorção desse fluido, deixando as fezes com excesso de água, o que se manifesta como diarréia. Por outro lado, quando o intestino trabalha muito lentamente, comum na SII, as fezes ficam em contato por muito tempo com as paredes intestinais, favorecendo uma maior absorção de água, deixando-as endurecidas e secas, características da constipação intestinal.

O crescimento excessivo bacteriano do intestino delgado e a intolerância à lactose estão associados ao aumento da produção de gás, o que às vezes, desencadeia desconforto abdominal e inchaço que também são considerados os sintomas principais na SII.

Além disso, uma alta prevalência de doença celíaca tem sido observada em pacientes com inchaço e diarréia e resultado positivo para intolerância à lactose. Nesses pacientes, os sintomas relacionados à deficiência de lactase parecem ser a única manifestação da doença celíaca [1].

– Emprego do óleo essencial de hortelã-pimenta (Mentha piperita)

Um artigo canadense [2] avaliou 9 estudos que envolveram 726 pacientes adultos com síndrome do intestino irritado. Os resultados na sua grande maioria mostraram-se eficientes em curto tempo de tratamento em comparação a outros tratamentos tentados.

Em apenas 4 semanas de tratamento com o óleo de hortelã-pimenta, os pacientes com SII apresentam melhora de sintomas abdominais [3,4], sendo sugerida por alguns autores, devido à sua baxa toxicidade e efeitos-colaterais, como a primeira intervenção para uso como terapêutica junto aos pacientes [5].

O óleo de hortelã-pimenta também foi testado em crianças. Após 2 semanas, 75% de todas recebendo o óleo de hortelã-pimenta tiveram redução da severidade de suas dores associada à SII [6].

No Brasil, o medicamento de uso oral Mentaliv compõem-se de 200 mg de óleo essencial de hortelã-pimenta (Mentha piperita) e tem o objetivo de auxiliar no tratamento sintomático da síndrome do intestino irritável, flatulência e outras desordens digestivas [7].

– Como o óleo essencial de hortelã-pimenta age?

O óleo de hortelã-pimenta apresenta uma pronunciada ação antiespasmódica, verificada em segmentos isolados de íleo de animais (coelhos e gatos), em diluições menores que 1:20.000. Esse efeito, reversível, é marcado por um declínio no número e na amplitude das contrações espontâneas, em alguns casos atingindo o ponto de paralisia completa. O óleo de hortelã-pimenta antagoniza a ação espasmogênica do cloreto de bário e da fisostigmina. Ele relaxa o músculo íleo longitudinal, embora de maneira menos potente que a papaverina. O óleo de hortelã-pimenta age competitivamente com a nifedipina e bloqueia os estímulos excitantes dos íons cálcio. Dessa forma, a ação antiespasmódica deste óleo é baseada em propriedades características de antagonistas de cálcio. O óleo de hortelã-pimenta apresenta também efeitos de relaxamento do esfíncter esofageano inferior, equilibrando a pressão intra-luminal entre o estômago e o esôfago. Ele inibe também no lumen intestinal a absorção de glicose pelos enterócitos via uma ação direta nos vilos intestinais [7,8,9].

– Dosagem do óleo essencial via oral:

A dosagem usual para o óleo de hortelã-pimenta para tratar desordens gastrointestinais varia de 0.2 a 0.4 mL três vezes ao dia (equivalente a 3-6 gotas em cápsulas, mel, óleo carreador). Para a síndrome do intestino irritado em particular, esta dosagem é empregada de uma até quatro vezes ao dia por duas a oito semanas, tomado sempre 15-60 minutos antes das refeições [10,11]. Sugere-se iniciar com a dosagem de 3 gotas de 3 a 4 vezes ao dia.

A dosagem em estudos com crianças (pesando menos que 45 kg) foram de 0.1 mL (1-2 gotas) três vezes ao dia. Pesquisas para dispepsia usaram uma dose de 90 mg de óleo de hortelã-pimenta associado com 50 mg de óleo de alcarávia [12]

ATENÇÃO: Esta é apenas o levantamento de dados baseado em diferentes artigos científicos publicados em revistas e jornais conceituados (vide referências abaixo). Se você está doente, procure se orientar com um médico!

Autor:
Fábián László
Cientista aromatólogo

Óleos essenciais de excepcional você encontra na revenda:www.marthamendonca.com.br

LASZLO
O Essencial em sua Vida


Referências:
1. Ojetti V, Nucera G, Migneco A, Gabrielli M, Lauritano C,
Danese S, et al. High prevalence of celiac disease in patients
with lactose intolerance. Digestion 2005; 71: 106–10.
2. Khanna R. Peppermint oil for the treatment of irritable bowel syndrome: a systematic review and meta-analysis. J Clin Gastroenterol. 2014 Jul;48(6):505-12.
3. Cappello G1, Spezzaferro M, Grossi L, Manzoli L, Marzio L. Peppermint oil (Mintoil) in the treatment of irritable bowel syndrome: a prospective double blind placebo-controlled randomized trial. Dig Liver Dis. 2007 Jun;39(6):530-6. Epub 2007 Apr 8.
4. L. Marzio et al. Peppermint oil (Mintoil) in the treatment of
irritable bowel syndrome: A prospective double blind
placebo-controlled randomized trial. Digestive and Liver
Disease. 39 (2007) 530–536
5. Grigoleit HG1, Grigoleit P. Peppermint oil in irritable bowel syndrome. Phytomedicine. 2005 Aug;12(8):601-6.
6. Kline RM, Kline JJ, Di Palma J, Barbero GJ. Enteric-coated,
pH-dependent peppermint oil capsules for the treatment of
irritable bowel syndrome in children. J Pediatr 2001; 138
:125–8.
7. Visitado em Fevereiro 2017 <http://www.consultamedicamentos.com.br/bula/mentaliv>
8. Allam S. Extracts from peppermint leaves, lemon balm leaves and in particular angelica roots mimic the pro-secretory action of the herbal preparation STW 5 in the human intestine. Phytomedicine. 2015 Nov 15;22(12):1063-70. 
9. Beesley A1, Hardcastle J, Hardcastle PT, Taylor CJ. Influence of peppermint oil on absorptive and secretory processes in rat small intestine. Gut. 1996 Aug;39(2):214-9.
10. Visitado em Fevereiro 2017 <http://www.ajpcr.com/Vol2Issue2/187.pdf>
11. Haber SL1, El-Ibiary SY1.Peppermint oil for treatment of irritable bowel syndrome. Am J Health Syst Pharm. 2016 Jan 15;73(2):22, 24, 26 passim. 
12. Kligler B1, Chaudhary S. Peppermint oil. Am Fam Physician. 2007 Apr 1;75(7):1027-30.

Share
Back To Top